Navigation

Peru vê infecções por covid-19 triplicarem em duas semanas no início da segunda onda

Profissionais do ministério peruano da Saúde realizam testes para descartar casos de covid-19 em pessoas vulneráveis com mais de 60 anos ou comorbidades em suas residências no distrito de El Agustino, leste de Lima, 7 de janeiro de 2021 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 14. janeiro 2021 - 22:51
(AFP)

Os casos diários de novas infecções por coronavírus no Peru triplicaram nas primeiras duas semanas de 2021, em meio a advertências do governo à população para evitar multidões e mitigar os efeitos de uma segunda onda de contaminação.

“De 1º de janeiro até agora, o número de casos (confirmados) triplicou”, alertou o reitor da Faculdade de Medicina do Peru, Miguel Palacios, nesta quinta-feira ao canal N de televisão.

O aumento das infecções ocorreu principalmente entre os dias 5 e 7 de janeiro e isso se deve ao fato de se tratarem de pessoas que contraíram o vírus durante as férias de Natal de 24 e 25 de dezembro.

De acordo com dados das autoridades de saúde, entre 1º e 2 de janeiro houve 900 novos casos confirmados de covid-19 e entre os dias 12 e 13, o número disparou para 2.932 infecções.

O governo admitiu esta semana que o país passa por uma segunda onda e vai implementar uma série de medidas a partir desta sexta-feira para reforçar algumas restrições vigentes desde o início da pandemia, em março.

A confirmação de pelo menos um caso de infecção com a cepa britânica despertou o temor das autoridades de um novo surto.

Uma possível quarentena não está descartada, mas não seria aplicada em nível nacional, como aconteceu em 2020 quando surgiu a pandemia, o que causou uma forte recessão econômica no país.

As novas medidas, que entrarão em vigor entre os dias 15 e 31 de janeiro, consistem também numa nova redução da capacidade dos estabelecimentos comerciais, proibição de ir às praias e imobilidade total aos domingos em algumas regiões do país.

O Peru registra pouco mais de um milhão de infecções e beira 39.000 mortes em 10 meses de pandemia.

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?