Navigation

Presidente boliviano volta a atribuir violência à oposição

(Arquivo) O presidente da Bolívia, Evo Morales afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 31. outubro 2019 - 17:51
(AFP)

O presidente Evo Morales reiterou nesta quinta-feira que a violência na Bolívia, que deixou dois mortos e mais de 130 feridos desde as eleições presidenciais, é provocada pela oposição, "que fracassou em sua tentativa de golpe de Estado".

"Lamento muito o que aconteceu em Montero", disse Morales em um ato público, em referência aos dois mortos e tiros e seis feridos nos confrontos entre seus partidários e opositores na quarta-feira à noite na cidade.

Os atos de violência surgiram "desde que vencemos as eleições", disse Morales, acrescentando que os opositores não aceitam que ele tenha conquistado um quarto mandato consecutivo após as eleições de 20 de outubro.

Morales, no poder desde 2006, também disse que a suposta tentativa de "golpe de Estado" da oposição "fracassou", pelo apoio que recebeu de mineiros, camponeses e outros funcionários do governo que marcharam dias atrás pelo ruas de La Paz.

O presidente insistiu que os manifestantes da oposição pretendiam cercar a chamada "Casa Grande del Pueblo", uma torre de escritórios onde tem seu escritório, ao lado do antigo Palácio do Governo na Plaza de Armas.

"O primeiro golpe de Estado fracassou, graças ao povo de La Paz e ao povo boliviano", disse o presidente.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.