Navigation

Presidente eleito da Argentina escolhe chanceler e embaixador no Brasil

(Arquivo) O presidente eleito na Argentina, Alberto Fernández afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 05. dezembro 2019 - 23:03
(AFP)

O deputado e ex-governador da província de Buenos Aires Felipe Solá será o chanceler da Argentina no próximo governo, do peronista Alberto Fernández, a partir do dia 10 de dezembro, anunciou o futuro presidente nesta quinta-feira.

Fernández fez a revelação durante reunião, em Buenos Aires, com parlamentares brasileiros, na qual anunciou que o embaixador no Brasil será o ex-vice-presidente argentino Daniel Scioli, candidato presidencial derrotado em 2015 por Mauricio Macri.

Solá, 69 anos, é um peronista que participou do governo de Carlos Menem (1989-1999) e governou a província de Buenos Aires em 2002, de forma interina, sendo eleito para o cargo em 2003.

Fernández disse aos parlamentares que deseja ter uma boa relação com o Brasil, um parceiro comercial chave da Argentina.

O presidente Jair Bolsonaro não irá a posse de Fernández, que tem boas relações com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a esquerda no Brasil.

"Se há respeito, é mais fácil conviver. Transmitam ao presidente Jair Bolsonaro meu respeito e vontade de trabalharmos juntos. Meu primeiro gesto com o Brasil será enviar como embaixador alguém que muito valorizo", disse Fernández.

"Temos um destino em comum. Temos que cuidar para que nenhuma conjuntura altere nossa relação: o Brasil é um irmão com outro idioma".

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.