Navigation

Presidente eleito do Panamá diz que reconhecerá Guaidó

Juan Guaido afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 13. maio 2019 - 17:59
(AFP)

O presidente eleito do Panamá, Laurentino Cortizo, disse nesta segunda-feira que reconhecerá o líder da oposição Juan Guaidó como presidente encarregado da Venezuela e que manterá seu país dentro do grupo de Lima.

"A República do Panamá tem uma relação direta com o governo de Guaidó, não é Cortizo, é a República do Panamá, isso será respeitado", disse Cortizo em entrevista ao canal TVN-2.

O Panamá é um dos mais de 50 países que reconhece Guaidó, que se proclamou presidente interino em 23 de janeiro, depois que o parlamento de maioria da oposição declarou Nicolás Maduro um "usurpador" , considerando sua reeleição "fraudulenta" de maio de 2018.

Cortizo disse ainda que, no momento, o Panamá continuará no Grupo Lima - que inclui 13 nações latino-americanas e o Canadá -, mas criticou seu desempenho para conseguir uma solução negociada para a crise social, política e econômica que a Venezuela está vivenciando.

"Eu realmente aprecio muito os esforços dos países do Grupo de Lima, mas me pergunto: que progresso foi feito?".

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.