Navigation

Presidente interina da Bolívia rechaça tentativa de senadores de 'anistiar' Morales

(22 nov) A presidente interina da Bolívia, Jeanine Áñez afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 23. novembro 2019 - 21:39
(AFP)

A presidente interina da Bolívia, Jeanine Áñez, rejeitou neste sábado uma "anistia" a Evo Morales, exilado no México, ante a tentativa de senadores de levar adiante um projeto de lei que prevê a proibição de "processos judiciais" contra o ex-presidente boliviano e seus colaboradores.

"Todo aquele que cometeu delitos e burlou a lei; cometeu abusos, não terá anistia de nenhum tipo", afirmou a presidente interina.

O partido de Morales, que tem maioria no Congresso, apresentou hoje um projeto de lei que blinda juridicamente o ex-presidente e seus funcionários, vetando a prisão ou abertura de processos contra ele.

Jeanine afirmou que o governo interino "não perseguirá nenhum político, líder sindical ou líder civil", tampouco dará aval a um quadro de impunidade. "O novo país que queremos será uma Bolívia de justiça, não de impunidade", assinalou.

O Movimento ao Socialismo (MAS) apresentou o projeto durante uma sessão em que foram aprovadas novas eleições gerais na Bolívia, sem a participação de Morales.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.