Navigation

Presidente mexicano intercedeu para que irmãs de 'El Chapo' obtivessem visto americano

(2016) Bernarda Guzman Loera, irmã de El Chapo, chega à prisão El Altiplano, em Juarez, México afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 22. fevereiro 2019 - 15:59
(AFP)

O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, reconheceu nesta sexta-feira que instruiu seu governo a interceder por duas irmãs do narcotraficante Joaquin "El Chapo" Guzmán para que obtivessem vistos para os Estados Unidos.

Em sua coletiva de imprensa diária, o presidente disse que em sua recente viagem a Badiraguato, cidade do estado de Sinaloa e onde Guzman nasceu, recebeu de um advogado uma carta da mãe do narcotraficante, que em 12 de fevereiro foi considerado culpado de tráfico de mais de 130 toneladas de drogas para os Estados Unidos.

"Dei instruções (...) para que as irmãs possam ir aos Estados Unidos, para que sejam inteiradas das leis daquele país para que possam visitar ou se comunicar" com Guzmán.

Advogados de Guzmán informaram na semana passada que a carta também solicitava um visto para María Consuelo Loera, mãe de Guzmán, mas o presidente disse que o pedido era apenas para as irmãs.

Guzmán será sentenciado em 25 de junho. Ele então será transferido para a prisão de segurança máxima (ADX) de Florence, Colorado (oeste).

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.