Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Atores com uniformes militares participam na cerimônia em homenagem aos dois primeiros mortos na I Guerra Mundial em Joncherey, leste da França

(afp_tickers)

Horas antes de entrarem em guerra, França e Alemanha já tinham um soldado morto cada em um conflito no lado francês da fronteira. Cem anos depois do início da Primeira Guerra Mundial, as famílias prestaram uma homenagem no local das mortes.

Neste sábado, o barulho dos tiros voltou a ser ouvido em Joncherey, povoado francês com cerca de 1.300 habitantes, na reconstituição do tiroteio de 2 de agosto de 1914 que custou a vida do cabo francês Jules-André Peugeot, de 21 anos, e do subtenente alemão Albert Mayer, de 22 anos.

Simbolicamente, foi depositada pelas famílias uma urna com a terra proveniente das sepulturas dos dois militares diante do monumento funerário do cabo francês Peugeot.

Um século depois, ainda não foram esclarecidas as motivações que levaram a tropa alemã a se aventurar em território francês. A Alemanha só declararia guerra à França no seguinte, 3 de agosto de 1914.

Em quatro anos de guerra, a França registrou quase 1,4 milhão de mortos e 4,2 milhões de feridos. A Alemanha teve 2 milhões de mortos e 4,2 milhões de feridos.

AFP