Navigation

Principal iatolá xiita pede formação de governo de unidade no Iraque

Iraquianos xiitas se preparam para combater o avanço do EILL, em Karbala, em 25 de junho de 2014. afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 27. junho 2014 - 16:23
(AFP)

O aiatolá Ali al-Sistani, a principal autoridade religiosa xiita no Iraque, pediu nesta sexta-feira aos dirigentes que se unam e formem um governo de unidade frente a ofensiva lançada pelos insurgentes jihadistas sunitas que ameaça dividir o país.

"O que se espera dos grupos políticos é que cheguem a um acordo sobre as três presidências (da República, do Parlamento e o primeiro-ministro) no prazo estabelecido pela Constituição", declarou durante a oração semanal de sexta-feira o xeque Abdel Mehdi al Karbalai, em nome do aiatolá Sistani.

"É o princípio da solução política que todo mundo espera", acrescentou.

Essas declarações estão na mesma linha que os inúmeros pedidos realizados por dirigentes estrangeiros, como o presidente Barack Obama, para que se crie um governo que inclua todos os grupos políticos e comunidades iraquianas para enfrentar a crise.

O primeiro-ministro Nuri al-Maliki, um xiita criticado por marginaliz do poder os sunitas, cedeu por fim à enxurrada de pedidos e disse que uma solução política é necessária para acompanhar a resposta militar.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.