Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Problemas técnicos com um novo sistema de comunicação usado pela Guarda Costeira Canadense estão colocando em risco o tráfego marítimo no Ártico do país, informou uma autoridade sindical nesta terça-feira

(afp_tickers)

Problemas técnicos com um novo sistema de comunicação usado pela Guarda Costeira Canadense estão colocando em risco o tráfego marítimo no Ártico do país, informou uma autoridade sindical nesta terça-feira.

As falhas decorrem de 'bugs' no software instalado no ano passado para centralizar as comunicações de rádio na remota região.

"São problemas intermitentes agora", disse à AFP Chad Stroud, presidente do sindicato que representa os encarregados de comunicação da Guarda Costeira.

"Alguém poderia nos chamar para tratar do tráfego de rotina ou estar em perigo ou efetuar uma chamada de emergência como 'mayday' e nós podemos ou não ouvir a chamada", afirmou.

Como resultado, a Guarda Costeira Canadense divulgou um alerta no começo deste mês alertando os marinheiros sobre a situação.

Stroud disse que o tema poderia colocar o tráfego marítimo "em risco", culpando os problemas causados pelos cortes orçamentários impostos pelo governo conservador do primeiro-ministro, Stephen Harper.

Há alguns anos, as águas do Ártico canadense têm registrado um aumento no tráfego, especialmente na Passagem Norte, que liga a Ásia à Europa.

"Por causa do aquecimento global, não há muito gelo lá e o tráfego está aumentando a cada ano", disse Stroud.

O governo Harper tem priorizado o desenvolvimento da região do Ártico canadense, decidindo construir um porto de águas profundas ali.

Ao contrário da Rússia e dos Estados Unidos, o Canadá não tem um quebra-gelo de propulsão nuclear, o que limita sua capacidade de reação nesta vasta região.

AFP