Navigation

Procuradoria boliviana ordena investigação de guardas espanhóis envolvidos em incidente na embaixada mexicana

(Novembro) Fachada da embaixada do México em La Paz afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 04. janeiro 2020 - 22:44
(AFP)

A Procuradoria boliviana ordenou neste sábado a investigação de seis membros da Guarda Civil da Espanha que teriam entrado no país andino com identidades falsas e participado de um incidente confuso na embaixada do México em La Paz.

"Desejamos verificar se essas pessoas portavam passaportes falsos na cidade de La Paz, ferindo a soberania do país", declarou o procurador geral do Estado, Juan Lanchipa, à Agência de Notícias Fides (ANF).

Os seis membros da Guarda Civil da Espanha deixaram ontem o país sul-americano em um voo comercial da Avianca, informou o diretor nacional de Migração, Marcel Rivas. Versões da imprensa espanhola deram conta de que os espanhóis entraram na Bolívia com identidades falsas.

Após confirmar que pertenciam a "um grupo especial da Guarda Civil espanhola", a autoridade de Migração os identificou como José Luis Rivera Pérez, Juan Manuel Fernández Chamorro, Jesús María Varas García, Jorge Santos Casaus, Sergio Mora Mendieta e Sergio Casal Rodríguez.

Na residência mexicana permanece uma dezena de ex-funcionários do governo Morales denunciados ou investigados pelos crimes de sublevação e terrorismo, a quem o governo interino nega salvo-condutos para que deixem o país.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.