Navigation

Promotor peruano cita Arce como testemunha em caso contra Vizcarra

O futuro presidente boliviano Luis Arce afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 21. outubro 2020 - 00:06
(AFP)

Um promotor peruano citou como testemunha o futuro presidente da Bolívia, Luis Arce, numa investigação contra o chefe de Estado peruano, Martín Vizcarra, informou nesta terça-feira uma fonte do Ministério Público.

"Através da cooperação internacional, notificou-se Luis Arce para depor", informou à AFP uma fonte do MP. Vizcarra é investigado por suspeita de ter recebido suborno de um consórcio empresarial em troca da vitória em uma licitação pública quando era governador da região de Moquegua, em 2013.

O promotor do caso, Elmer Chirre, apurou que, em 3 de novembro de 2013, o consórcio Obrainsa-Astaldi pagou um voo fretado para levar da Bolívia a Moquegua uma delegação do governo integrada por Luis Arce. Por este voo, um dos representantes da construtora, que é investigado, afirma que o consórcio desembolsou cerca de 10 mil dólares, a fim de que fosse favorecido com a obra em Moquegua.

O MP irá solicitar a autoridades peruanas informações sobre a entrada e saída do país da delegação da Bolívia. O depoimento de Arce está marcado para 13 de novembro, por meio de videoconferência, enquanto os outros cinco integrantes da delegação que o acompanhava deverão depor três dias depois.

Vizcarra reconheceu ter feito coordenações para que o consórcio fretasse um avião e transportasse os funcionários da Bolívia em dezembro de 2013, mas afirmou que o trâmite "foi totalmente transparente" e não prova que ele recebeu pagamento ilícito da empresa.

Segundo Vizcarra, a Obrainsa arcou com os custos do voo como parte da "responsabilidade social" que as empresas assumem ao vencerem processos de licitação.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.