Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Venezuelanos protestam em Caracas, no dia 13 de maio de 2017

(afp_tickers)

Caravanas de automóveis, motos, bicicletas e até mesmo cavalos foram realizadas neste sábado (13) na Venezuela em uma nova onda de protestos contra o presidente Nicolás Maduro, que mais uma vez terminou com bombas de gás lacrimogêneo.

Forças de segurança dispersaram a um desses grupos usando bombas de gás lacrimogêneo as filas de veículos em Caracas e na cidade de Valencia, no norte do país, evitando que os opositores chegassem aos pontos de destino previstos, conforme vericaram os repórtes da AFP.

Militares em motocicletas recorreram a bombas de gás lacrimogêneo para bloquear a passagem do grupo de Caracas na estratégica rodovia Francisco Fajardo, que dá acesso ao estado Vargas.

"Temos que continuar buscando formas de protesto. É para marchar? Marchamos. Bloquear a passagem? Bloqueamos. Caravanas? Aqui estamos", disse à AFP Rafael Galvis, de 46 anos, no volante de uma caminhonete com dezenas de pessoas a bordo, com bandeiras venezuelanas e cartazes contra Maduro.

Os críticos de Maduro completaram seis semanas de manifestações contra seu governo, e nelas exigem "eleições gerais" e repudiam uma Assembleia Popular Constituinte convocada no dia 1º de maio pelo presidente.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP