Navigation

Putin homenageia soldados soviéticos mortos em Cuba

Antes de deixar Moscou, Putin promulgou o acordo que anula 90% da dívida de Cuba com a extinta União Soviética. afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 11. julho 2014 - 13:04
(AFP)

O presidente russo, Vladimir Putin, acompanhado pelo cubano Raúl Castro, prestou homenagem nesta sexta-feira aos soldados soviéticos mortos na ilha nos anos 60 e 70, no primeiro compromisso oficial de sua visita a Havana, informou a televisão local.

Putin e Castro depositaram flores no Mausoléu ao Soldado Internacionalista Soviético, em um pequeno cemitério onde estão sepultados 67 militares que faleceram por doenças ou acidentes enquanto serviam na ilha durante a Guerra Fria.

O cemitério está localizado ao lado da antiga base de escutas eletrônicas de Lourdes, um dos principais centros de espionagem soviética no exterior, fechado há mais de uma década e que deu lugar a uma universidade.

Putin, que cumpre nesta sexta em Cuba a primeira escala de um giro pela América Latina que o levará a Argentina e Brasil, vai se reunir à tarde com Raúl Castro e assinará vários acordos no Palácio da Revolução, segundo o programa divulgado pela chancelaria cubana.

Também terá um encontro com o líder cubano Fidel Castro, de 87 anos, de acordo com o Kremlin.

Cuba e Rússia têm estreitado suas relações depois de anos de um distanciamento causado pelo fim da União Soviética, em 1991.

Moscou foi durante três décadas o principal parceiro econômico e aliado político da ilha.

Putin concluirá sua visita a Havana nesta sexta-feira à noite.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.