Navigation

Quarto caso de ebola é confirmado na República Democrática do Congo

Fronteira deserta entre a República Democrática do Congo e Ruanda afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 01. agosto 2019 - 18:46
(AFP)

Uma quarta pessoa acusou positivo em exames para o vírus ebola nesta quinta-feira, uma mulher cujo marido morreu na véspera, depois de ser infectado pela epidemia que causou mais de 1.800 mortes no leste da República Democrática do Congo, informou a OMS.

"Estamos no processo de investigar este caso", declarou à AFP o dr. Boubacar Diallo, coordenador da OMS encarregado de monitorar este surto de ebola.

Além da morte de um paciente, um terceiro foi diagnosticado, na quarta-feira com o vírus ebola na cidade de Goma, polo comercial de dois milhões de habitantes, o que aumentou os temores sobre uma epidemia na região.

Na vizinha província de Kivu do Sul, 15 pessoas foram colocadas em quarentena em uma localidade à beira do Lago Kivu, sendo os primeiros casos suspeitos de Ebola nesta província.

A atual epidemia foi deflagrada em agosto de 2018 em Kivu do Norte e chegou a Ituri (nordeste), mas até o momento estava relativamente limitada.

Mas os novos casos em uma cidade como Goma aumentam os temores sobre a propagação de uma epidemia, segundo as autoridades.

Mais cedo, a vizinha Ruanda decidiu fechar sua fronteira com a RDC após a confirmação de mais um caso de ebola, mas oito horas depois resolveu reabri-la.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.