Navigation

Quatro observadores da OSCE são libertados na Ucrânia

(29 mai) Combatente separatista em um prédio do governo regional na cidade de Donetsk afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 26. junho 2014 - 23:58
(AFP)

Quatro observadores da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) sequestrados em 26 de maio por rebeldes pró-russos foram libertados na madrugada desta sexta-feira (horário local), em um hotel de Donetsk, reduto dos separatistas no leste da Ucrânia.

"Foram libertados sem condições. Trata-se de um dinamarquês, um turco, um suíço e, se não me engano, um estoniano", declarou à imprensa o "primeiro-ministro" da autoproclamada pelos separatistas "República de Donetsk".

Os quatro observadores pareciam cansados e tensos e se recusaram a falar com a imprensa.

"Comemoramos o retorno dos quatro membros da missão depois de 31 dias de ausência", comentou o número dois da missão da OSCE na Ucrânia, Mark Etherington.

"Estamos muito preocupados com o destino dos nossos outros quatro colegas", completou, referindo-se a uma segunda equipe da OSCE mantida refém desde 29 de maio em algum lugar do leste da Ucrânia, por parte de rebeldes pró-Moscou.

Borodaï acrescentou que os observadores da OSCE foram levados por um chefe rebelde da região vizinha de Lugansk.

As lideranças separatistas de Donetsk e Lugansk afirmam, com frequência, que não têm controle em suas regiões de todos os grupos paramilitares que lutam contra as forças ucranianas.

No final do dia, disse Borodaï, os combatentes pró-russos haviam tomado uma base militar ucraniana em Donetsk, depois de algumas horas de confrontos armados.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.