Navigation

Quatro passageiros morrem em cruzeiro Zaandam, fundeado na costa do Panamá

O cruzeiro holandês Zaandam afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 27. março 2020 - 13:48
(AFP)

Quatro passageiros idosos morreram a bordo do navio de cruzeiro "Zaandam", fundeado na costa do Panamá, no qual já foram confirmados dois casos de Covid-19, informou a empresa responsável pelo navio - que foi recusado em vários portos - nesta sexta-feira (27).

"A Holland America Line confirma que quatro passageiros mais velhos morreram em Zaandam. Nossos pensamentos e orações vão para suas famílias e estamos fazendo todo o possível para apoiá-los nesses tempos difíceis", disse a empresa em comunicado em seu site.

A empresa acrescentou que vários passageiros com sintomas respiratórios foram submetidos a testes do novo coronavírus e dois deles tiveram resultado positivo.

"Mais cedo, um certo número de pacientes com problemas respiratórios foi submetido a testes para detectar a Covid-19 e dois indivíduos resultaram positivo", comunicou a Holland America Line.

Segundo a empresa, 53 passageiros e 85 tripulantes apresentaram sintomas de gripe no centro médico do cruzeiro.

O Zaandam saiu em 7 de março de Buenos Aires em direção a San Antonio, na costa central do Chile, mas teve que alterar sua rota por causa das medidas drásticas que governos sul-americanos estão tomando em relação à expansão do novo coronavírus.

Tentou atracar em vários portos, mas foi se deparando com o fechamento de todas as fronteiras na América do Sul por causa da pandemia.

O cruzeiro tinha a intenção de atravessar o canal como forma de seguir sua rota até Fort Lauderdale, na Flórida, com a esperança de que todos os passageiros desembarcassem ali no próximo 30 de março.

No entanto, o Ministério da Saúde do Panamá, que é quem concede a permissão para que se cruze o canal, não foi favorável para a passagem do navio.

Na última quinta, a Autoridade Marítima do Panamá (AMP) havia concedido a permissão para que o cruzeiro recebesse assistência do navio Rotterdam a uma distância de oito milhas (cerca de 12 quilômetros) da terra firme.

O governo panamenho, por sua vez, negou ao cruzeiro holandês Zaandam o trânsito pelo canal do Panamá, anunciou nesta sexta-feira o administrador da via marítima, Ricaurte Vásquez, que também informou que o barco ficaria em quarentena se algum caso do novo coronavírus fosse confirmado a bordo.

"O Ministério da Saúde não permitiu, o navio está em águas territoriais panamenhas, mas tem que permanecer isolado", disse Vásquez em uma teleconferência com jornalistas.

Mais cedo, Vásquez tinha declarado que "efetivamente o navio tem pessoas com sintomas (de Covid-19)", motivo pelo qual foi implementado um protocolo de isolamento para que "não tenham contato com as equipes do Canal do Panamá", acrescentou Vásquez.

"Aqui não há meio termo. Aqui é ou não é. Se há um positivo, o navio entra em quarentena", alertou o administrador da via marítima, ainda que tenha reconhecido que manter o cruzeiro em quarentena seja complicado para os passageiros e para o Panamá.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.