Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Crianças olham pôster sobre riscos do Ebola, em 24 de agosto de 2014, em Abidjan, na Costa do Marfim

(afp_tickers)

A República Democrática do Congo anunciou neste domingo o aparecimento de uma cepa diferente do vírus Ebola em uma de suas províncias, enquanto que, em Serra Leoa, um médico da Organização Mundial de Saúde (OMS) foi contaminado pela primeira vez.

O Ebola surgiu na província congolesa de Equador. Na semana passada, foram anunciados nessa área vários casos de pessoas com febre e outros sintomas.

"Os resultados são positivos. O vírus Ebola está confirmado na RDC", declarou o ministro da Saúde, Félix Kabange Numbi, após as análises de oito amostras de pessoas contaminadas.

Segundo o ministro, trata-se de outra cepa. "Não tem qualquer relação com a (epidemia) que afeta a África Ocidental", afirmou.

É a "sétima epidemia (de Ebola) na RDC" desde que o vírus foi descoberto nesse país (então Zaire), em 1976, lembrou.

Desde 11 de agosto, 13 pessoas morreram na República Democrática do Congo por causa desse novo surto, "que apareceu no setor de Jera (...) mais de 1.200 km ao nordeste de Kinshasa", explicou o ministro.

"A experiência adquirida nas seis epidemias precedentes de Ebola será utilizada para conter essa doença", frisou.

O especialista da Organização Mundial de Saúde (OMS) contagiado em Serra Leoa é o primeiro caso para essa instituição, que conta com 400 pessoas instaladas nos países afetados. Um porta-voz da OMS em Genebra disse à AFP que o doente é um especialista em Epidemiologia.

Uma reunião de ministros africanos organizada pela OMS e prevista para acontecer 1º a 5 de setembro, em Benin, foi adiada por tempo indeterminado, anunciou o governo local.

AFP