Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Importações, exportações e comércio entre a Rússia e seus principais sócios europeus. (130 x 82 mm)

(afp_tickers)

União Europeia (UE) e Estados Unidos decidiram, nesta terça-feira, punir mais uma vez a economia russa para aumentar a pressão contra Moscou por seu papel na crise ucraniana.

Segue abaixo a lista das sanções adotadas até agora:

- Sanções econômicas

Os Estados Unidos foram o primeiro país a impor medidas econômicas contra empresas russas. Em 16 de julho, o governo proibiu as empresas americanas de fazer transações com o gigante russo do petróleo Rosneft. As restrições se estendem ao Gazprombank, banco do produtor de gás Gazprom, e ao banco público russo VEB.

Nesta terça-feira, Washington impôs sanções a "setores-chave" da economia russa: energia, armamento e finanças. Os Estados Unidos decidiram bloquear as exportações de alguns bens e tecnologias destinados ao setor energético russo e suspenderam os créditos para os projetos de desenvolvimento na Rússia. As sanções também proíbem fazer financiamentos de longo prazo para o segundo banco russo, VTB; para uma de suas filiais, o Banco de Moscou; e para o Banco Agrícola russo, primeiro concessor de crédito para o setor agrícola.

Já a UE decidiu nesta terça vedar o acesso ao mercado de capitais europeu, proibindo qualquer cidadão ou companhia comunitária de comprar bônus, ações, ou qualquer instrumento financeiro de um vencimento de mais de 90 dias às entidades financeiras públicas russas. A UE permitirá, porém, os empréstimos bancários.

Nesta nova etapa de medidas, também fica vedada a exportação de tecnologia de duplo uso (civil e militar) e limita-se o acesso da Rússia às tecnologias sensíveis no setor da exploração de petróleo não convencional ("shale oil", extração em águas profundas, exploração no Ártico). Os contratos em curso não serão afetados por essas mudanças.

Em 16 de julho, a UE anunciou o congelamento de novos programas na Rússia do Banco Europeu de Investimentos (BEI) e trabalhou para que o Banco Europeu para a Reconstrução e o Desenvolvimento (Berd) também congelasse seus novos programas de investimento na Rússia. O Berd conta com 64 países acionistas, incluindo a Rússia.

- Congelamento de bens e proibição de visto

Dezenas de autoridades russas e ucranianas pró-Moscou estão sujeitas ao congelamento de bens e a uma proibição de visto.

A lista americana conta com mais de 50 autoridades, e a da UE, 91. São políticos da Crimeia, do leste da Ucrânia, assim como da Duma russa, dos serviços de segurança e das Forças Armadas da Rússia. Pela primeira vez, a UE decidiu incluir, esta semana, oligarcas russos que se "beneficiam" da desestabilização da Ucrânia.

A UE também sancionou 23 entidades, entre elas várias milícias e grupos armados como o Exército do Sudeste (separatistas), assim como empresas com sede na Crimeia.

O Canadá elaborou uma lista com 43 russos e 43 ucranianos, enquanto o Japão proibiu o visto para 23 russos.

- Sanções diplomáticas

Para protestar contra a anexação da Crimeia à Rússia, os líderes das potências ocidentais suspenderam em março sua participação na cúpula do seleto clube de potências mundiais do G-8, que seria realizada em Moscou em junho, e fizeram uma reunião do G-7 em Bruxelas.

A UE suspendeu ainda as discussões sobre a liberalização da política de vistos.

Na mesma linha, o Japão também suspendeu negociações para flexibilizar a concessões de vistos.

- Suspensão da cooperação militar

Em 3 de março, Washington decidiu suspender sua cooperação militar com a Rússia.

Em 1º de abril, os 28 membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) suspenderam "a cooperação civil e militar com a Rússia". Essa medida não afeta alguns programas, sobretudo, a cooperação no Afeganistão, o combate ao terrorismo e ao tráfico de drogas.

Também nesta terça, a UE decidiu suspender a compra e a venda de armamentos à Rússia. A medida não altera os contratos em vigor.

AFP