Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Um tribunal de Paris condenou Grégoire Delacourt (e) e seu editor a pagar 2.500 euros em indenização por danos morais a Scarlett Johansson.

(afp_tickers)

A atriz americana Scarlett Johansson conseguiu nesta quarta-feira a condenação do escritor francês Grégoire Delacourt por invasão de privacidade em seu romance "La première chose qu'on regarde" (A primeira coisa que vemos, em tradução livre), que conta a história de uma sósia da estrela.

Um tribunal de Paris condenou Delacourt e seu editor Jean-Claude Lattes a pagar 2.500 euros em indenização por danos morais, além dos custos do processo judicial.

No romance, publicado em março de 2013, um mecânico do departamento de Somme, no norte da França, "parecido com Ryan Gosling, mas mais bonito", vê chegar em sua casa Scarlett Johansson, na realidade sua sósia.

Na história, o livro indiretamente atribui a Scarlett Johansson relacionamentos amorosos "que nunca existiram", alegou o advogado da estrela em maio passado.

"Extremamente satisfeita" com a decisão, a advogada do escritor e de seu editor, Anne Veil, destacou o "montante ridículo" da indenização.

O advogado da atriz não foi encontrado para comentar o caso.

AFP