Navigation

Sobe para três número de mortos em protestos contra governo em Honduras

Velório do terceiro morto nos protestos contra o governo de Honduras, no dia 20 de junho de 2019 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 21. junho 2019 - 20:30
(AFP)

Um jovem de 17 anos foi morto por policiais militares em Honduras, elevando para três o número de vítimas fatais nos protestos populares que exigem a renúncia do presidente Juan Orlando Hernández.

Segundo parentes da vítima, o adolescente foi assassinado por militares na noite de quinta-feira, após participar do bloqueio de uma estrada no departamento de La Paz, a 40 km ao norte Tegucigalpa.

As outras duas mortes também ocorreram durante a ação de forças de segurança para reprimir os incidentes nos quais milhares de pessoas bloquearam ruas e saquearam várias lojas em bairros da capital Tegucigalpa.

Foram registrados protestos com bloqueios de estradas em outras cidades do país, como San Pedro Sula (norte), La Ceiba (Caribe norte) e Choluteca (sul), segundo a polícia.

Logo após o início das manifestações, o presidente Hernández ordenou o envio das Forças Armadas para impedir bloqueios nas estradas e proteger as propriedades privadas e públicas.

Os protestos começaram há mais de um mês e foram convocados por estudantes, médicos e professores que são contrários a dois decretos do governo que afirmam que servem para privatizar a saúde e a educação.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.