Navigation

Soyuz decola com três astronautas após fracasso de missão em outubro

Roupa do cosmonauta Oleg Kononenko é testada antes do lançamento, no Cazaquistão afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 03. dezembro 2018 - 14:02
(AFP)

Três astronautas - uma americana, um canadense e um russo - decolaram nesta segunda-feira da base de Baikonur (Cazaquistão) rumo à Estação Espacial Internacional (ISS) a bordo de um foguete Soyuz, na primeira missão desde o lançamento fracassado de outubro passado.

O lançamento foi bem sucedido, disse a Roskosmos, a agência espacial russa.

O russo Oleg Kononenko, a americana Anne McClain e o canadense David Saint-Jacques decolaram a bordo da Soyuz às 09h31 de Brasília para cumprir uma missão de seis meses e meio em órbita ao redor da Terra.

A decolagem desta segunda-feira ocorre após a tentativa frustrada de 11 de outubro.

Na ocasião, o lançamento do foguete Soyuz, que que levava dois astronautas para a ISS, sofreu uma falha.

Dois minutos após a decolagem, um dos propulsores do primeiro estágio do foguete se desprendeu e atingiu o segundo estágio, basicamente composto por combustível.

Essa falha causou a ejeção automática da parte onde a cápsula estava com os dois homens, que puderam retornar com segurança ao solo.

Mas este acidente, o primeiro na Rússia pós-soviética, colocou no banco dos réus o programa Soyuz.

"A Expedição 58 está em órbita! Quero mostrar meu apreço ao Diretor-Geral [da Roskosmos] Dmitri Rogozin e todas as equipes da Nasa e da Roskosmos por seus esforços para fazer deste voo um sucesso", declarou no Twitter Jim Bridenstine, o administrador-geral da Nasa.

Os astronautas Kononenko, McClain e Saint-Jacques estavam sorrindo durante a entrada de Soyuz cápsula, pouco antes do lançamento, de acordo com imagens de TV da Nasa.

Os três asseguraram no domingo que estavam "preparados" e tinham "confiança" no sucesso da decolagem.

Inicialmente prevista para 20 de dezembro, o lançamento foi antecipado para segunda-feira para garantir uma presença permanente de astronautas na ISS, já que a equipe atual deve retornar à Terra nesse mesmo dia.

O programa espacial da Soyuz é a única maneira de chegar à ISS, depois que os Estados Unidos se retiraram da corrida espacial em 2011.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.