Navigation

Suspensão de Luiz Gustavo é nova dor de cabeça para Felipão

Luiz Gustavo disputa a bola com o chileno Arturo Vidal afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 29. junho 2014 - 15:31
(AFP)

Com a suspensão de Luiz Gustavo, o Brasil ganhou mais um problema no meio-campo, que terá a difícil missão de parar jogadores talentosos, como o meia James Rodríguez contra a Colômbia, pelas quartas de final da Copa do Mundo.

Por ter levado o segundo cartão amarelo na competição no sábado, aos 14 minutos do segundo tempo da vitória nos pênaltis sobre o Chile, no Mineirão, o volante não poderá defender a seleção no duelo com os colombianos, marcado para a próxima sexta-feira em Fortaleza.

O jogador do Wolfsburg já tinha recebido um cartão na estreia, nos minutos finais da vitória por 3 a 1 sobre a Croácia, em São Paulo.

"Na hora nem pensei na suspensão, não tem como você pensar em duas coisas ao mesmo tempo, só pensei em continuar jogando, que era o mais importante", explicou o camisa 17, que continuou lutando incansavelmente por cada bola até o final da prorrogação.

Sua ausência será um grande problema no setor que é um dos pontos fracos da seleção desde o início da competição.

Nova chance para Paulinho

Luiz Gustavo foi o jogador que mais desarmou adversários na primeira fase, com nada menos que 24 roubadas de bola, uma média de três por jogo.

Posicionado como 'cão de guarda' em frente à defesa, ele vem sendo um dos jogadores mais regulares da equipe, enquanto Paulinho, titular habitual na posição de segundo volante, teve atuações muito abaixo do esperado.

O jogador do Tottenham ficou na reserva contra o Chile, dando lugar a Fernandinho, mas deve voltar à equipe com o desfalque de Luiz Gustavo.

"Muita gente disse que fiquei abatido, cabisbaixo com o fato de ter saído do time titular, mas não é nada disso. Vou continuar trabalhando duro nos treinos para estar à disposição do técnico", afirmou Paulinho, que discursou no meio dos batedores antes da disputa de pênaltis contra o Chile para apresentar palavras de incentivo.

Ele contribuiu da sua forma para a classificação, mesmo sem entrar em campo.

O mais provável é que o técnico Luiz Felipe Scolari escale contra a Colômbia a dupla Paulinho-Fernandinho, com o jogador do Manchester City como primeiro volante, na função de Luiz Gustavo.

Fernandinho mais recuado

O treinador testou esta formação no dia 5 de março, na goleada de 5 a 0 sobre a África do Sul, em amistoso disputado em Johannesburgo.

Convocado pela primeira vez por Felipão, Fernandinho tinha atuado nas duas posições. No primeiro tempo, ficou mais preso à marcação, para dar mais liberdade a Paulinho, que saiu no intervalo, dando lugar a Luiz Gustavo.

Com a volta do 'cão de guarda', Fernandinho se soltou mais e marcou um belo gol de fora da área, carimbando assim sua vaga entre os 23 convocados para a Copa do Mundo.

Ele já está acostumado a desempenhar as duas funções no City, onde participa bastante da articulação das jogadas da equipe, mas também é responsável por 'cobrir' o astro marfinense Yaya Touré, segundo volante muito ofensivo.

Hernanes e Ramires também brigam por uma vaga no meio de campo, sendo que o segundo também pode ser escalado junto com a dupla Paulinho-Fernandinho, no lugar de Hulk, para dar mais peso ao meio de campo, como aconteceu contra o México, na segunda rodada da fase de grupos.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.