Navigation

Talibãs proíbem atuação da OMS e da Cruz Vermelha no Afeganistão

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha anunciou que está suspendendo suas atividades no Afeganistão afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 11. abril 2019 - 19:29
(AFP)

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) anunciou nesta quinta-feira que está suspendendo suas atividades no Afeganistão, depois de ter sua presença proibida pelos talibãs, o que também afeta a Organização Mundial da Saúde (OMS).

O Talibã acusou o CICV de não ter "respeitado os acordos" entre as duas partes e a OMS de "movimentos suspeitos" durante uma campanha de vacinação.

O movimento fundamentalista, que controla ou disputa com as forças do governo em quase metade do país, decidiu "proibir as duas organizações que operam no país até nova ordem", ressaltando que elas não eram responsáveis por sua segurança.

"Nós tomamos nota deste anúncio e suspendemos nossas atividades no país devido à retirada das garantias de segurança", disse o porta-voz do CICV no Afeganistão, Robin Waudo.

"Estamos tentando entrar em contato com o Talibã para iniciar um diálogo bilateral", acrescentou ele.

O porta-voz da OMS no Afeganistão, Ni Jin, também disse à AFP que "tomou nota" do anúncio do Talibã.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.