Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Apple Watch, apresentado oficialmente no dia 9 de março de 2015, em São Francisco

(afp_tickers)

Os 'Applemaníacos' que também são fãs de arte corporal estão descobrindo que tatuagens escuras podem interferir no funcionamento do novo e icônico smartwatch, lançado recentemente pela cultuada empresa com a logomarca da maçã.

Uma página de suporte online da Apple advertiu nesta quinta-feira que "tinta, padrões e saturação de algumas tatuagens podem bloquear a luz do sensor, o que torna difícil obter leituras confiáveis".

Sensores na parte posterior do relógio de pulso Apple Watch utilizam luz de LED para detectar o fluxo de sangue e controlar a frequência cardíaca de usuários e fornecer informações como calorias queimadas ou a intensidade da atividade física.

Após o lançamento do relógio da Apple, em 24 de abril, alguns usuários relataram que os gadgets estavam apresentando um funcionamento estranho em pulsos tatuados. Aplicativos falharam ou pararam de funcionar quando os sensores de frequência cardíaca do Apple Watch apresentavam problemas quando colocados sobre peles com tatuagens escuras, lamentaram alguns usuários.

"Muitos fatores podem afetar o desempenho do sensor de frequência cardíaca do Apple Watch", admitiu a empresa da Califórnia em uma página de suporte.

Esses fatores incluem a quantidade de sangue que flui através da pele de uma pessoa, bem como se os movimentos são rítmicos, como numa corrida, ou irregulares, como quando se joga tênis, acrescentou a Apple.

"Alterações permanentes ou temporárias na pele, como algumas tatuagens, também podem afetar o desempenho do sensor de frequência cardíaca", explicou a empresa.

AFP