Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Presidente Michel Temer discursa no Palácio do Planalto, 1 de agosto de 2017

(afp_tickers)

A defesa do presidente Michel Temer pediu, nesta terça-feira, ao Supremo Tribunal Federal (STF) o afastamento do Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, que o acusou de corrupção, dos casos que envolvem o chefe de Estado.

"Já se tornou público e notório que a atuação do E. Procurador-Geral da República, em casos envolvendo o presidente da República, vem extrapolando em muito os seus limites constitucionais e legais inerentes ao cargo que ocupa", afirmou o advogado Antonio Mariz, em documento dirigido ao STF e ao qual a AFP teve acesso.

"A motivação, tudo indica, é pessoal. Estamos assistindo a uma obsessiva conduta persecutória", acrescenta o advogado.

Depois de denunciar Temer por corrupção passiva como suposto beneficiário de uma propina oferecida pela JBS, Janot conduz outras investigações que podem derivar em mais denúncias contra o presidente, como por obstrução da Justiça e organização criminosa.

A primeira foi bloqueada na semana passada pela Câmara dos Deputados, onde Temer conta com uma forte base aliada.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










AFP