Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Presidente Michel Temer discursa no Palácio do Planalto, 1 de agosto de 2017

(afp_tickers)

A defesa do presidente Michel Temer pediu, nesta terça-feira, ao Supremo Tribunal Federal (STF) o afastamento do Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, que o acusou de corrupção, dos casos que envolvem o chefe de Estado.

"Já se tornou público e notório que a atuação do E. Procurador-Geral da República, em casos envolvendo o presidente da República, vem extrapolando em muito os seus limites constitucionais e legais inerentes ao cargo que ocupa", afirmou o advogado Antonio Mariz, em documento dirigido ao STF e ao qual a AFP teve acesso.

"A motivação, tudo indica, é pessoal. Estamos assistindo a uma obsessiva conduta persecutória", acrescenta o advogado.

Depois de denunciar Temer por corrupção passiva como suposto beneficiário de uma propina oferecida pela JBS, Janot conduz outras investigações que podem derivar em mais denúncias contra o presidente, como por obstrução da Justiça e organização criminosa.

A primeira foi bloqueada na semana passada pela Câmara dos Deputados, onde Temer conta com uma forte base aliada.

AFP