Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Líder do Sendero Luminoso Florindo Flores após sua captura em 22 de fevereiro de 2012

(afp_tickers)

O departamento americano do Tesouro considerou nesta segunda-feira o grupo guerrilheiro peruano Sendero Luminoso como uma "organização criminosa narcoterrorista" e o incluiu na lista de entidades sancionadas, junto com três dirigentes máximos.

De acordo com uma nota oficial, foram incluídos na lista os peruanos Víctor Quispe Palomino, Jorge Quispe Palomino e Florindo Eleuterio Flores Hala.

O governo americano considera o Sendero Luminoso uma "organização terrorista" desde outubro de 1997.

"Desde que foi criado, ha três décadas, o Sendero Luminoso evoluiu de um grupo militante terrorista a uma organização criminosa narcoterrorista responsável por traficar cocaína a toda a América do Sul", disse o titular do Escritório de Controle de Bens Estrangeiros (OFAC), John Smith.

O Tesouro americano identificou os três envolvidos como líderes do Sendero Luminoso, e lembrou que os três foram denunciados em 2014 ante um tribunal federal de Nova York.

Desde a forte ofensiva governamental da década de 90, o Sendero Luminoso "limitou-se a uma área remota do Peru onde a folha de coca é produzida" e, por isso, o grupo "orientou seu foco ao tráfico de cocaína".

"Na última década, o Sendero Luminoso participou de todos os aspectos do tráfico de cocaína na região centro-sul do Peru, incluindo algumas das zonas mais férteis do mundo para a produção de folhas de coca", afirmou a nota.

AFP