Navigation

Tinder terá que compartilhar dados de usuários na Rússia

O serviço federal russo de supervisão das comunicações, Roskomnadzor, anunciou nesta segunda-feira (3) que o aplicativo de encontros Tinder terá que compartilhar, a partir de agora, os dados de seus usuários com os serviços de segurança russos afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 03. junho 2019 - 16:58
(AFP)

O serviço federal russo de supervisão das comunicações, Roskomnadzor, anunciou nesta segunda-feira (3) que o aplicativo de encontros Tinder terá que compartilhar, a partir de agora, os dados de seus usuários com os serviços de segurança russos, incluindo o FSB.

A Roskomnadzor possui uma lista de serviços on-line ativos na Rússia que devem fornecer os dados de seus usuários para as autoridades russas, no caso de solicitação neste sentido.

O Tinder "foi adicionado a esta lista depois de ter transmitido as informações necessárias, a pedido da Roskomnadzor", tuitou a agência de telecomunicações russa.

Esta lista foi estabelecida pela Roskomnadzor em colaboração com os serviços de segurança russos.

Os serviços incluídos na lista são obrigados a compartilhar as chaves de criptografia com as autoridades e manter os dados de seus usuários por seis meses.

Atualmente, esta lista é composta por dezenas de empresas, incluindo a rede social russa Vkontakte.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.