Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Três funcionários sudaneses de organismos internacionais de cooperação foram libertados neste sábado na região sudanesa de Darfur após 32 dias em cativeiro, informou a ONU.

(afp_tickers)

Três funcionários sudaneses de organismos internacionais de cooperação foram libertados neste sábado na região sudanesa de Darfur após 32 dias em cativeiro, informou a ONU.

Os três "estão ilesos e em bom estado", indicou em um comunicado a missão conjunta da ONU-União Africano em Darfur (UNAMID).

Mustafa Abdullah Adarfe, da UNICEF, Mohamed Abu Elgassem e Ahmed Elsayed, da ONG irlandesa GOAL, foram libertados no distrito de Kutum (norte de Darfur), de acordo com a UNAMID.

Os cooperantes foram sequestrados por "homens armados" junto a outros 22 em 18 de junho, em Kutum. O restante já havia sido liberado.

A UNAMID não informou quem está por trás do sequestro, mas o chefe da missão, Mohamed Ibn Chambas, manifestou sua "gratidão" ao governo do Sudão, aos serviços de inteligência do Sudão e ao governador de Darfur do Norte por sua "valiosa ajuda na libertação dos homens".

Militantes da minoria étnica não-árabe em Darfur protagonizaram há 11 anos uma rebelião contra o que considerava a dominação das elites árabes sobre o poder e as riquezas do Sudão.

Em resposta, o governo recrutou milícias "Janjaweed", de tribos árabes, que foram incorporadas a unidades paramilitares.

Aa autoridades reconhecem que estão "perdendo cada vez mais o controle sobre os paramilitares, que têm sido a principal fonte de insegurança em Darfur nos últimos dois anos", de acordo com um relatório do International Crisis Group.

AFP