Navigation

Twitter combate discursos de ódio baseados na religião

O Twitter começará a filtrar conteúdos inapropriados baseados na religião como parte de seu esforço para evitar os discursos de ódio. afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 10. julho 2019 - 20:19
(AFP)

O Twitter começou nesta terça-feira a filtrar conteúdos inapropriados baseados na religião, como parte de seu esforço por evitar os discursos de ódio.

Em uma atualização de sua política, o Twitter anunciou que retiraria a "linguagem desumanizadora" dirigida a grupos religiosos concretos.

"Após meses de conversas e comentários do público, de especialistas externos e da nossa própria equipe, estamos ampliando nossas regras contra as condutas de ódio para incluir a linguagem que desumaniza outros baseando-se em sua religião", escreveu a equipe de segurança do Twitter, que mostrou como exemplos a ser retirados a descrição de membros de alguma religião como "repugnantes" ou "animais sujos".

A rede social eliminará esse tipo de tuítes quando forem denunciados. As mensagens escritas antes da atualização que violem a nova regra também serão retiradas, mas as contas de origem não serão suspensas.

Tanto o Twitter como outras redes sociais vêm testando diferentes formas de eliminar conteúdos ofensivos e de ódio enquanto as plataformas permanecem abertas.

Os serviços digitais também enfrentaram acusações de que as restrições podem acabar com algumas opiniões políticas.

No mês passado, o Twitter anunciou que adicionaria hashtags de advertência aos tuítes de autoridades e políticos que não cumprissem suas regras, um movimento que poderia afetar o alto volume de postagens do presidente americano, Donald Trump.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.