Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Centro de treinamento do Ebola em Monróvia, na Libéria, em 24 de julho de 2014. Desde março, mais de 1.200 personas foram infectadas na África Ocidental e mais de 800 morreram.

(afp_tickers)

A Comissão Europeia anunciou nesta quarta-feira uma nova ajuda de dois milhões de euros para a luta contra o Ebola nos países da África Ocidental.

"O nível de contaminação é extremamente preocupante e devemos aumentar nossa ação antes que mais vidas sejam perdidas", afirmou Kristalina Georgieva, comissária europeia de Ajuda Humanitária, citada em um comunicado.

Esta nova parcela de ajuda da UE se soma aos 3,9 milhões de euros que o bloco já destinou à causa entre abril e junho.

A Comissão disse ainda que a ajuda será canalizada através de três organizações: a Organização Mundial da Saúde (OMS), que fornece equipamento e assessoria, Médicos Sem Fronteiras (MSF), que oferece apoio clínico para isolar e conter a epidemia, e a Federação Internacional da Cruz Vermelha e Crescente Vermelho, que promove a prevenção.

A epidemia, que está em curso desde o início do ano, se declarou na Guiné e depois atingiu a Libéria e Serra Leoa.

Na semana passada foi confirmado o primeiro caso na Nigéria.

Desde março, mais de 1.200 personas foram infectadas na África Ocidental e quase 700 morreram.

O vírus Ebola é transmitido por contato direto com sangue, fluidos ou tecidos de pessoas ou animais infectados. A febre que provoca se manifesta com hemorragias, vômitos e diarreia.

A taxa de mortalidade varia entre 25% e 90% entre os humanos e não há vacina que evite o contágio.

AFP