Navigation

UE pede maior coordenação do bloco diante de novo coronavírus

(Arquivo) Pedestres em Hong Kong afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 12. fevereiro 2020 - 22:01
(AFP)

Os países da União Europeia (UE) pedem um "reforço na coordenação" entre os membros diante dos riscos vinculados à epidemia do novo coronavírus, segundo um projeto de declaração que deveriam aprovar nesta quinta-feira.

Os ministros europeus da Saúde se reunirão a partir das 10h locais (6h em Brasília) de quinta-feira em Bruxelas para discutir as medidas contra a propagação do COVID-19 na UE, onde 35 casos foram registrados.

"A eficácia das medidas nacionais adotadas nas fronteiras e nos pontos de entrada da UE para proteger a saúde pública (...) podem ser melhoradas", defende o projeto, visto pela AFP.

O texto, debatido por representantes dos 27 países em Bruxelas, afirma que essa melhora pode acontecer "mediante o reforço da coordenação já em curso entre os Estados membros e a Comissão".

Os países-membros fazem o convite para que "atuem juntos" de "maneira proporcional e apropriada para facilitar a informação e as medidas preventivas necessárias às pessoas com maior risco de portar o vírus", e preservar "a livre circulação na UE".

Os países desejam ainda que "as informações sejam mais fáceis para todos os turistas em trânsito na UE, desde a sua chegada ou para os que estejam em trânsito nas zonas afetadas, e que se possa acompanhar o seu trajeto".

Os membros do bloco se comprometem também a "compartilhar as informações sobre a evolução do vírus" e a "combater a desinformação, que pode implicar em preconceito".

A Comissão se responsabiliza no texto a estudar as possibilidades para "facilitar o acesso necessário a equipamentos de proteção individual", que os países "necessitem para reduzir ao máximo a eventual propagação".

Mais de 1.100 pessoas morreram pelo coronavírus, que infectou mais de 45 mil pessoas em todo o mundo, segundo números oficiais.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.