Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Mina de carvão de Garzweiler, Alemanha, é vista em 5 de agosto de 2013

(afp_tickers)

A Comissão Europeia (braço executivo da União Europeia) concluiu, nesta quarta-feira, o plano de ação da UE contra o aquecimento global, com uma meta de economia de energia de 30% para 2030, anunciou à AFP uma fonte europeia.

Caberá aos dirigentes dos Estados-membros decidir durante uma cúpula em outubro se esta meta, a princípio indicativa, pode se tornar juridicamente vinculante, informou a fonte, que pediu para ter sua identidade preservada.

O objetivo de 30% foi defendido pela comissária encarregada do clima, Connie Hedegaard. O presidente da Comissão, José Manuel Barroso, defendia uma meta menos ambiciosa para evitar reações negativas dos países, diante dos importantes investimentos que serão necessários.

O plano recebeu o apoio do próximo presidente da Comissão, o luxemburguês Jean-Claude Juncker, que pediu "uma meta de 30% de eficiência energética para 2030" durante seu discurso no Parlamento europeu, na semana passada.

A União Europeia fixou três metas para 2020: reduzir suas emissões de gases de efeito estufa em 20% com relação a 1990, aumentar para 20% a cota de renováveis e fazer uma economia de energia de 20%. As três já estão praticamente cumpridas.

O executivo europeu pediu que se mantenham os esforços e propôs fixar a 40% a redução das emissões de gases de efeito estufa em 2030 e em 27% a parte das renováveis.

Falta apenas um objetivo de eficiência energética, estabelecido nesta quarta-feira, cuja discussão foi marcada por tensões entre Rússia e Ucrânia, que ameaçam o abastecimento de gás para a Europa.

Estes três objetivos representam a contribuição da UE com vistas à cúpula mundial sobre o clima, que será celebrada em dezembro de 2015, em Paris.

AFP