Navigation

Uruguai reforça requisitos de entrada no país pelo medo da variante Delta

Funcionários empurram um carrinho com um dos três pacientes que morreram na mesma manhã em uma UTI de covid-19, em um hospital privado em Montevidéu, em 4 de junho de 2021 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 25. junho 2021 - 17:06
(AFP)

O Uruguai voltará a reforçar os requisitos de entrada em seu território diante da ameaça da variante Delta da covid-19, da qual ainda não foram registrados casos no país, informaram as autoridades nesta sexta-feira (25).

Todas as pessoas que entrarem no Uruguai deverão realizar "um teste PCR 72 horas antes de embarcar e depois outro no sétimo dia do primeiro teste ou, caso não seja possível, fazer um isolamento de 14 dias", informou o ministro de Saúde Pública, Daniel Salinas, em coletiva de imprensa.

Esses requisitos estavam suspensos desde 19 de maio para as pessoas vacinadas contra a covid e aquelas que tiveram a doença nos 90 dias anteriores ao embarque.

"É uma medida de adaptação à questão da variante Delta", disse Salinas.

O ministro, no entanto, pediu para "levar a sério" o cenário desta e outras cepas que possam surgir no futuro, "porque vão entrar no país de alguma maneira".

"Temos que estar atentos, ser proativos, mas não dramatizar a situação", enfatizou.

As autoridades informaram a chegada em julho de 500.000 doses da Pfizer doadas pelos Estados Unidos.

Sendo assim, o Uruguai se torna um dos primeiros receptores da doação de 14 milhões de doses que Washington decidiu entregar a países da América Latina por meio do programa Covax.

O país de 3,5 milhões de habitantes, que enfrentou em abril e maio o pior momento da pandemia com recordes mundiais de contágios e mortes, vive agora uma melhora dos números devido a uma intensa campanha de vacinação.

De toda a população, 62% recebeu ao menos uma das duas doses da Pfizer, CoronaVac ou Astrazenca e 43% tem a imunização completa.

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?