Navigation

Vaticano pune padre chileno por descumprir pena por abusos sexuais

Papa Francisco afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 05. julho 2014 - 15:10
(AFP)

O Vaticano puniu novamente o sacerdote chileno Fernando Karadima, declarado culpado de abuso sexual de menores e de abuso de poder pela Igreja Católica, por descumprir a condenação ditada contra ele.

Uma das vítimas de abusos por parte de Karadima denunciou que o sacerdote ministrou uma missa, apesar de estar proibido de celebrar atos religiosos em público, acusação que foi investigada pela Igreja.

A Congregação para a Doutrina da Fé, o órgão do Vaticano responsável pela investigação, afirmou que "a missa em questão não pode ser considerada uma celebração pública".

No entanto, a Congregação "determinou que o presbítero Karadima fosse punido com uma advertência canônica por tentar frustradamente contactar membros da ex-União Sacerdotal", afirmou um comunicado do arcebispado de Santiago.

Segundo a Igreja chilena, a punição foi comunicada a Karadima, "lembrando-o severamente sobre o que foi estabelecido de maneira rígida no decreto de sua condenação".

O caso de Karadima abalou a Igreja chilena, que pediu perdão em abril de 2011 pelas acusações de pedofilia contra vinte sacerdotes, cinco deles condenados pela justiça local.

Karadima depôs em abril de 2013 diante de um juiz e negou ter cometido os abusos, no âmbito da investigação que a Procuradoria realiza desde março de 2011, quando o caso foi reaberto pela existência de litígios pendentes.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.