Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Foguete é lançado da base de Kourou, na Guiana Francesa, em 30 de abril de 2014

(afp_tickers)

A Europa encerrará um importante capítulo de sua história espacial esta terça-feira, ao lançar a quinta e última nave não tripulada destinada a enviar provisões à Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês).

Com o tamanho de um ônibus de dois andares e pesando 20 toneladas, o Veículo Automático de Transferência (ATV, na sigla em inglês), com o nome de Georges Lemaitre, será lançado nesta terça do centro espacial Kourou, na Guiana Francesa, às 20h44 locais (mesmo horário em Brasília).

A cápsula pressurizada de 10 metros será o maior ATV já lançado a bordo de um foguete Ariane 5 ES.

A nave levará cerca de 6,6 toneladas de provisões para a estação orbital, incluindo 850 litros de água potável (a maior quantidade já enviada), três toneladas de combustível, oxigênio, comida, roupas limpas e café para os seis astronautas a bordo da estação orbital.

Parte do combustível será usado para impulsionar a ISS - que está caindo na direção da Terra a 100 metros por dia, devido à resistência atmosférica - para altitudes mais elevadas com os motores de bordo do ATV.

Batizado com o nome do pai da teoria do Big Bang sobre a formação do universo, o mais pesado veículo ATV já lançado segue o rastro dos outros quatro enviados ao espaço pela Agência Espacial Europeia (ESA) desde 2008.

"Georges Lemaitre pode ser o último ATV, mas o programa é apenas o primeiro passo importante na aventura espacial humana da ESA", afirmou o diretor de voos espaciais tripulados e operações da agência, Thomas Reiter.

"O programa ATV ajudou a criar tecnologias-chave que servirão como uma base sólida para futuros esforços humanos de transporte espacial", acrescentou.

- Café e roupa limpa -

Muitos dos 1.232 itens a bordo da nave, a mais complexa já construída pela Europa, são destinados a dar algum conforto para os astronautas que a cada missão a bordo da ISS passam seis meses vivendo em condições adversas e sem gravidade.

Entre os 'mimos' estão pudim de pão, suco de laranja e manga, macarrão com queijo, fio dental e, muito importante, 50 quilos de café para "revitalizar" a tripulação, anunciou a Airbus Defense and Space, construtora do ATV.

Como não há máquina de lavar no espaço, a nave robô levará roupas íntimas, meias e roupas limpas, inclusive camisetas feitas de um tecido novo, super-respirável e anti-odores, chamado Spacetex.

A bordo também haverá experimentos científicos. O LIRIS, um sensor infra-vermelho, fará leituras sobre a viagem e será usado para desenvolver sistemas de navegação que poderão, um dia, permitir à nave se prender a alvos "não cooperativos", como lixo espacial ou asteroides.

Por fim, o ATV também fornecerá espaço extra de habitação, trabalho e armazenamento durante os seis meses que permanecer acoplado à estação orbital.

- Sobrevivência tecnológica -

Uma hora depois do lançamento, o ATV deve se desprender do foguete lançador e iniciar sua navegação autônoma rumo à ISS, usando seus painéis solares e orientando-se pela luz das estrelas.

Em 12 de agosto espera-se que o veículo se acople à ISS, a uma altitude de 400 km e com velocidade de 28.800 km/h.

Ao final da missão, a nave se desprenderá da estação, trazendo toneladas de lixo e dejetos humanos, sairá da órbita e se autodestruirá ao entrar na atmosfera da Terra sobre uma região não habitada do Pacífico Sul.

O programa ATV fez parte da contribuição contratual da ESA com a estação espacial, um projeto de colaboração multinacional liderado pelos Estados Unidos.

"O ATV tem sido uma parte indispensável do ISS", informou a ESA em um comunicado.

Desde que os Estados Unidos aposentaram seu programa de ônibus espaciais, em 2011, o ATV tem tido a maior capacidade de carga de todos os veículos de reabastecimento enviados para a estação espacial.

O hardware derivado do ATV será incluído no projeto da nave Orion, da Nasa, que levará seres humanos para a Lua e além, com voo de testes previsto para 2017.

Os primeiros quatro ATV também receberam o nome de ícones da ciência: Júlio Verne, lançado em 2008, Johannes Kepler (2011), Edoardo Amaldi (2012) e Albert Einstein (2013).

Todos atenderam às suas metas operacionais, calando os críticos ao custo total do programa, de US$ 5,6 bilhões.

A tarefa de abastecimento do ATV será assumido pela nave de carga russa Progress e pelas naves Dragon e Cygnus, a cargo de duas empresas americanas contratadas pela Nasa: Space X e Orbital Sciences.

AFP