Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Opositor do governo de Nicolas Maduro em um protesto em Caracas em 12 de fevereiro de 2015

(afp_tickers)

O saque de um supermercado no sudeste da Venezuela terminou em confusão nesta sexta-feira, com um morto e 60 detidos - informaram as autoridades locais.

"Foi um ato planejado. Há 60 presos. Mataram vilmente um trabalhador", declarou o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, em um ato público, acusando "a direita" de estar por trás desses atos.

Segundo ele, o objetivo é suspender as eleições legislativas de 6 de dezembro deste ano.

O presidente anunciou uma operação para capturar os envolvidos no saque.

O governador do estado de Bolívar, Francisco Rangel, relatou que o incidente aconteceu pela manhã, quando um "grupo de indivíduos armados" entrou à força em um supermercado administrado por cidadãos chineses na cidade de San Félix.

"Um deles atirou vilmente contra um trabalhador verdureiro do estabelecimento comercial. Infelizmente, o trabalhador morreu", declarou o governador, acrescentando que "a situação está completamente controlada".

Vários jornais divulgaram imagens de uma multidão tentando entrar à força no supermercado.

AFP