Navigation

Venezuela recebe remessa da vacina russa contra covid-19

Frasco com a vacina russa contra o coronavírus usado na vacinação de um voluntário em um estudo em Moscou, em 10 de setembro de 2020 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 02. outubro 2020 - 19:30
(AFP)

A Venezuela recebeu nesta sexta-feira (2) um carregamento de vacinas russas contra o novo coronavírus, com o objetivo de participar da fase de ensaios clínicos, informou o governo de Nicolás Maduro.

"Estamos recebendo um primeiro lote de vacinas Sputnik V (...). Duas mil pessoas serão incluídas neste ensaio na Venezuela", disse o ministro da Saúde, Carlos Alvarado, durante cerimônia solene no Aeroporto Internacional de Maiquetía, o principal terminal aéreo do país caribenho.

As vacinações serão iniciadas este mês em Caracas, acrescentou o ministro, sem especificar uma data.

Em 11 de agosto, a Rússia se tornou o primeiro país a aprovar uma vacina contra a covid-19, que chamou de Sputnik V em homenagem ao primeiro satélite lançado ao espaço, em 1957.

No entanto, o anúncio foi recebido com ceticismo pela comunidade internacional, visto que não foi publicado um estudo detalhado que permita verificar de forma independente os resultados dos primeiros testes.

Atualmente, está em desenvolvimento a fase três dos estudos, a etapa de teste em humanos, na qual, de acordo com a Rússia, mais de 40 mil voluntários estão sendo vacinados.

Já em agosto, o governo Maduro havia anunciado que a Venezuela participaria dessa fase a partir de acordos com o Centro de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Nikolai Gamaleya, responsável pela produção do Sputnik V, e Moscou.

Na época, disseram que pretendiam produzir a vacina, apesar de sua grave crise econômica.

"Assim que terminar esta fase três, tanto na Rússia quanto na Venezuela, começará o processo de produção em massa", insistiu Alvarado na sexta-feira.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.