Navigation

Venezuelanos arrecadam mais de mil caixas de ajuda humanitária em Miami

Guaidó agradece a voluntários em Caracas afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 18. fevereiro 2019 - 00:33
(AFP)

Venezuelanos arrecadaram neste domingo em Miami mais de mil caixas de alimentos e insumos médicos para enviar a seu país, como parte da operação organizada pelo líder opositor Juan Guaidó para a entrada de ajuda humanitária que o governo rejeita por considerá-la um cavalo de troia.

Durante o dia, o fluxo de dezenas de pessoas se manteve constante no centro de provisões em Doral, localidade de Miami com população predominantemente venezuelana, conhecida como "Doralzuela".

Carlos Vecchio, nomeado por Guaidó seu representante nos Estados Unidos, confirmou que, ao fim do dia, haviam sido recebidas mais de mil caixas, que chegarão à Venezuela através da ilha caribenha de Curaçao.

Os doadores levaram remédios, vitaminas, equipamentos hospitalares e de primeiros socorros, alimentos não perecíveis, fórmulas pediátricas e geriátricas e produtos de higiene, entre outros.

"É disso que se trata esta luta, de ajudar aqueles que, hoje, mais necessitam, e aliviar o sofrimento que a ditadura usurpadora causou a milhões de pessoas", publicou Vecchio no Twitter, enquanto participava dos trabalhos de arrecadação.

A pedido de Guaidó, grupos de voluntários trabalham em vários estados da Venezuela para organizar a entrada e distribuição, no próximo dia 23, da ajuda estrangeira, que está sendo recebida em Brasil, Colômbia e Curaçao.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.