Com faixas de "ditador" e "usurpador", um grupo de cerca de 100 venezuelanos repudiou neste domingo (13), no centro de Madri, Nicolás Maduro, que assumiu um novo mandato presidencial não reconhecido pela oposição e por grande parte da comunidade internacional.

"Quem somos nós? Venezuela. O que queremos? Liberdade" e "Maduro ditador" eram algumas das palavras de ordem dos manifestantes na Puerta del Sol, em pleno coração da capital espanhola.

Também gritaram "Guaidó presidente", em apoio à Juan Guaidó, presidente da Assembleia Nacional, com uma maioria de oposição, que declarou Maduro "usurpador" depois que o presidente socialista assumiu seu novo mandato de seis anos na última quinta-feira.

"É uma situação difícil. Pedimos ao mundo, agora mais do que nunca, para não nos deixar sozinhos" diante das "máfias que assumem o poder" em Caracas, disse à imprensa o ex-prefeito de Caracas Antonio Ledezma, instalado em Madri desde que fugiu de sua prisão domiciliar no final de 2017.

"O mundo sabe que Maduro não é legítimo, porque não foi eleito, as eleições foram espúrias", afirmou Pedro Ontiveros, um venezuelano de 74 anos, usando um boné e um lenço com as cores da bandeira venezuelana amarelo, azul e vermelho.

Em meio à pior crise econômica da história recente da Venezuela, Maduro foi reeleito em maio em um processo boicotado e denunciado como fraude pelos principais partidos da oposição.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.