Navigation

Ciência das plantas medicinais ameaçada pela perda de línguas indígenas

Indígena esmaga sementes para obter tintura vermelha na reserva Pataxó de Jaqueira, perto de Porto Seguro, Bahia, Brasil Keystone / Peter Klaunzer

O desaparecimento previsto de certas línguas indígenas poderá levar ao desaparecimento do conhecimento de muitas plantas medicinais. Em três quartos dos casos identificados por pesquisadores em Zurique, esse conhecimento é transmitido apenas oralmente em uma dessas línguas.

Este conteúdo foi publicado em 11. junho 2021 - 10:45
Keystone-SDA/ts

Os linguistas estimam que cerca de um terço das 7.400 línguas atualmente faladas no mundo terá desaparecido até o final do século. No entanto, a única maneira de algumas culturas indígenas transmitirem seu conhecimento é de boca a boca.

Para investigar até que ponto o conhecimento médico sobre plantas está ameaçado, Rodrigo Cámara-Leret e Jordi Bascompte da Universidade de Zurique coletaram dados sobre 3.597 plantas medicinais. Eles analisaram 12.495 maneiras de usar essas plantas, cujo conhecimento é transmitido em 236 línguas indígenas faladas na América do Norte, no noroeste da Amazônia e na Nova Guiné. O estudo deles foi publicado na revista PNAS.

‘Tragédia’

O resultado é que 75% do conhecimento destas plantas é preservado em apenas um idioma. "E são precisamente estes idiomas que estão mais ameaçados", disse Jordi Bascompte à Agência Suíça de Notícias Keystone-ATS.

O conhecimento insubstituível das culturas do noroeste da Amazônia está particularmente em risco. Cerca de 90% das formas de utilização das plantas são transmitidas em apenas um idioma.

"Isto é uma tragédia porque não há como 'recuperar' estas línguas uma vez desaparecidas", advertiu Bascompte.

Em um mundo globalizado, é difícil deter esta tendência, acrescentou ele. "O mais importante é reconhecer a beleza e o valor da diversidade das línguas, deixar os seres humanos falarem sua língua materna e documentar as línguas que estão ameaçadas de extinção".

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.