Navigation

Como é trabalhar na Suíça?

A Suíça tem uma economia forte, baixa inflação e índices reduzidos de endividamento e desemprego. Difícil acreditar que apenas há algumas gerações, o país fosse tão pobre e tantos habitantes obrigados a emigrar à procura de melhores condições de vida. Hoje a situação mudou e continua a mudar.

Este conteúdo foi publicado em 30. outubro 2020 - 08:30

O século 19 viveu a chegada da indústria têxtil e química na Suíça. Logo depois, veio a indústria de máquinas e o forte setor bancário. Porém a emigração só foi estancada graças à pujança econômica vivida pelo país após a II Guerra Mundial

Hoje a Suíça é um dos destinos preferidos da mão-de-obra internacional. Salários elevados no setor de informática, finanças, indústria farmacêutica, mas também gastronomia e comércio são um dos principais atrativos. O país abriga inúmeras multinacionais e organizações internacionais. O salário médio (jornada diária de oito horas) é de 6.500 francos (7.190 dólares) ao mês. Porém o custo de vida no país é bastante elevado.

Um fator importante para a estabilidade no emprego na Suíça é seu sistema de educação e formação profissional. Embora o desemprego tenha aumentado em 2020 devido à pandemia, o país tem uma das mais baixas taxas de desemprego juvenil da Europa. Em 2019, a taxa média era de 4,58%.  

Na série "Explicando a Suíça" compreenda como funciona o mercado de trabalho e o que as empresas estão esperando no futuro.

Adaptação: Alexander Thoele

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.