Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Consumidor está mais exigente com a carne

Para prevenir mal da vaca louca foi proibido o farelo de osso

(Keystone)

O mal da doença da vaca louca, a febre aftosa e frango com dioxina assustam os europeus. Na Suíça os hábitos de consumo de carne mudaram. Come-se menos carne e se exige garantia sobre o que se come. Último exemplo: em Genebra uma campanha pede "respeito à natureza dos animais"...

Uma centena de cartazes com a foto de um porco sadio, "olhos maliciosos e focinho gourmand" - como escreve o jornal Le Matin, de Lausanne - vai ser colada em Genebra. A campanha reivindica respeito à natureza dos animais de criação e enfatiza: "A criação abusiva ainda provoca demasiado sofrimento... Podemos agir, consumindo menos".

Para o Le Matin, o recado é claro: "Não compre nem coma qualquer coisa".

Na liderança da campanha, a presidente do WWF de Genebra, ou seja o Fundo Mundial pela Natureza (Sylvia Leuenberger) e uma grafista (Anthy Ioannidès). As duas querem etiquetas e marcas que garantam boas condições de criação dos animais cujas carnes chegam a nossos pratos.

Expande-se a "produção biológica"

Em conseqüência da atitude mais reservada e exigente dos consumidores, o "marché bio" (produção controlada mais respeitosa da natureza) está em plena expansão, em particular na Suíça. No país, a produção "bio" (biológica) de carne de boi e de porco representa atualmente 1,5% do mercado. A previsão é de que passe a 10% em 2005 e a 20% em 2010.

No setor de cereais, a produção biológica já chega a 7% e deve subir na mesma proporção: 10% e 20%, respectivamente em 2005 e 2010.

Farelo de osso é eliminado

Por outro lado, na Suíça a tentativa de acabar com o mal da vaca louca levou as autoridades a ditarem normas severas. Proibiram por ex., o farelo de origem animal como ingrediente nas rações. Toda a produção desse tipo de farelo é sistematicamente eliminada.

A esse respeito, a Divisão Federal do Meio Ambiente acaba de autorizar exportação para incineração na Alemanha de 10 mil toneladas de farelo de osso. Não faz muito tempo tinha permitido a exportação de 6 mil toneladas. Isso porque só tem capacidade para eliminar a metade das 20 mil toneladas produzidas no país.

swissinfo


Links

×