Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Ecologistas protestam na Suíça

Militantes do Greenpeace protestam em Zoug.

(Keystone)

Membros da organização ecológica Greenpeace despejaram sacos com petróleo da Galícia na porta da empresa que fretou o navio.

Novas medidas de segurança pode afetar a frota marítima suíça.

Um grupo de militantes da seção suíça da Greenpeace trouxe vários sacos da poluição extraída do litoral espanhol e despejou o petróleo na porta do escritório da Crown Ressources, no cantão Zoug, na Suíça. A manifestação foi na quarta-feira (04.12).

Exigências dos ecologistas

Essa empresa, de capital russo, comercializa petróleo e fretou o "Prestige" que naugrafou dia 19 a 270 km da costa da Galícia, noroeste da Espanha.

A organização ecológica quer que a Crown Ressources, membro do grupo russo Alfa, assuma por escrito sua co-responsabilidade na catástrofe marítima sem precedentes.

Greenpeace quer também que a empresa se comprometa a não mais fretar navios que não respeitem as normas de segurança. Nenhum representante da empresa falou com os militantes ecologistas.

Frota suíça

Por outro lado, os navios comerciais com bandeira suíça deverão adequar-se às novas leis européias que reforçam as inspeções nos portos.

Essas novas normas de segurança marítima imporão certas restrições aos navios com bandeira suíça, como navegar a certa distãncia da costa e maior controle durante as escalas, segundo a empresa de navegação Suíça-Atlântico.

No entanto, o Departamento suíço de Navegação Marítima, essas medidas não são aplicadas à Suíça porque o país não tem litoral marítimo. As duas entidades reconhecem que a frota suíça tem navios modernos e com idade média de 4 anos e meio.

Entre os 26 navios cargueiros da frota marítima suíça, nenhum é petroleiro e, atualmente, apenas dois transportam produtos químicos.

swissinfo/Jaime Ortega


Links

×