Perspectivas suíças em 10 idiomas

Governo enfim revela detalhes de unidade secreta

bunker militar
Este bunker no cantão de Berna era usado pela P-26 para reuniões e operações de treinamento Keystone

Um relatório oficial sobre as atividades de uma unidade secreta do exército suíço durante a Guerra Fria foi publicado pelo governo quase três décadas depois de ter sido escrito.


O “relatório Cornu” de 115 páginas, em homenagem ao magistrado de Neuchâtel que o autorizou em 1991, foi lançado (em francês) em formato anônimo e editado pelo Conselho Federal na quarta-feira.

O relatório considera as atividades do P-26 (ou “Projekt 26”, em menção aos 26 cantões suíços), uma unidade secreta do exército que foi estabelecida sem aprovação parlamentar em 1979 para antecipar uma possível invasão inimiga – o maior medo sendo a União Soviética.

As descobertas, que o governo se recusou a publicar até agora, mostram que os 400 homens e mulheres do P-26 realizaram exercícios regulares de treinamento de combate num cenário de ocupação inimiga. Os exercícios se deram particularmente na Grã-Bretanha, por meio de contatos diretos através da embaixada britânica em Berna.

Embora tais unidades não fossem incomuns na Europa Ocidental durante as tensas décadas da Guerra Fria, a versão suíça foi particularmente sensível, dada a neutralidade do país e a não-adesão à Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN).

A primeira investigação do governo sobre a P-26, em 1991, veio depois de um clamor público por conta da falta de transparência e pelo fato de que não havia nenhum mecanismo de prestação de contas pela unidade; considerou-se a falta de supervisão civil “intolerável”, e concluiu-se que “é alarmante que os serviços britânicos soubessem mais sobre a P-26 do que o próprio governo suíço”.

A P-26 foi oficialmente dissolvida em 1992.

Transparência embaçada

Embora vários nomes, locais e detalhes tenham sido retirados do relatório, o governo disse que o publicou por “uma preocupação com a transparência” e um desejo de esclarecer o contexto histórico e político que cercava as atividades do P-26.

“É uma boa idéia [publicá-lo]”, disse Cornu à rádio pública suíça RTS, na manhã de quinta-feira. “É preciso esclarecer esse assunto.” Ele também explicou que os detalhes omitidos dizem respeito principalmente a locais e nomes específicos, omissões que o governo justificava pelo fato de que algumas das pessoas mencionadas ainda estão vivas.

Em tal caso, no entanto, “as pessoas sempre terão suspeitas”, disse Cornu. Mesmo quando, ou se, a versão completa for lançada, “as pessoas pensarão que é um relato falso”.

Os esforços do governo com transparência também não foram ajudados pela recente revelação de que 27 pastas e dossiês associados ao relatório de Cornu desapareceram, algo que o ministério da defesa confirmou novamente à RTS na quinta-feira.

“Isso é frustrante, porque aumenta desnecessariamente as suspeitas”, disse Cornu. Para ele, uma comparação entre os documentos desaparecidos e a versão do relatório eventualmente publicada não revelaria quaisquer omissões ou descuidos importantes.

O Conselho Federal rejeitou uma moção apresentada por um parlamentar do Partido Verde para liberar uma versão integral do relatório; isso parece destinado a permanecer em segredo até que o status de proteção de 50 anos acabe em 2041.

swissinfo.ch/ets

Os mais discutidos

Notícias

imagem

Mostrar mais

Explosão em estacionamento causa dois mortos na Suíça

Este conteúdo foi publicado em As explosões, que começaram em um estacionamento subterrâneo, levaram a um grande incêndio e à necessidade de evacuar os residentes de um edifício.

ler mais Explosão em estacionamento causa dois mortos na Suíça
imagem

Mostrar mais

Suíças têm maior probabilidade de ter nível superior

Este conteúdo foi publicado em As mulheres jovens na Suíça têm agora mais probabilidade do que seus colegas homens de ter um diploma de nível superior, de acordo com o Departamento Federal de Estatística.

ler mais Suíças têm maior probabilidade de ter nível superior
imagem

Mostrar mais

Suíça quer dar primeiro passo para paz na Ucrânia

Este conteúdo foi publicado em A presidente da Suíça, Viola Amherd, espera que a primeira conferência de paz para a Ucrânia crie confiança e busque soluções para questões de segurança.

ler mais Suíça quer dar primeiro passo para paz na Ucrânia
imagem

Mostrar mais

Suíços querem viajar para longe do país

Este conteúdo foi publicado em A maioria dos suíços está planejando pelo menos uma viagem de férias este ano, apesar do aumento dos custos e da inflação.

ler mais Suíços querem viajar para longe do país

Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch.

SWI swissinfo.ch - sucursal da sociedade suíça de radiodifusão SRG SSR

SWI swissinfo.ch - sucursal da sociedade suíça de radiodifusão SRG SSR