Navigation

Trapaceiros atacam refugiados e estrangeiros na Suíça pela internet

Fraudadores se apresentando como autoridades suíças têm tentado enganar os requerentes de asilo e estrangeiros que vivem na Suíça com ameaças de expulsão do país se não pagarem dinheiro.

Este conteúdo foi publicado em 04. fevereiro 2019 - 07:30
As autoridades suíças distribuíram folhetos em todos os centros de requerentes de asilo em 24 de janeiro, alertando as pessoas sobre a fraude Keystone

Os golpistas se apresentam como membros das autoridades suíças de controle de fronteiras, da Secretaria de Estado de Migração (SEM) ou até mesmo do Departamento Federal de Polícia (fedpol), informou o jornal “Le Matin Dimanche”, no domingo. Eles ameaçam retirar a permissão de residência da vítima ou expulsá-la se não depositar uma certa quantia em uma conta.

"Não funciona assim, mas para os refugiados, eles podem pensar que pagar pode ajudar no pedido de asilo", disse o porta-voz da SEM, Reto Kormann, à agência de notícias suíça Keystone-SDA. Confirmando o relato, Kormann disse que a SEM foi informada pela guarda de fronteira que os refugiados estavam sendo contatados em inglês.

A SEM, portanto, agiu imediatamente para alertar os refugiados e autoridades de migração cantonal do golpe, garantiu o porta-voz. A secretaria recusou-se a indicar o número de vítimas ou quantias solicitadas.

A Fedpol diz que vai apresentar uma queixa e também encoraja as vítimas a fazer o mesmo. "É um passo essencial em casos como esse", disse Thomas Dayer, porta-voz da fedpol, à Keystone-SDA.


Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?