Navigation

Pesquisadores na Suíça descobrem chave para resistência a tratamento do câncer de próstata

O câncer de próstata é o segundo câncer mais comum e a quinta causa de morte relacionada ao câncer em homens no mundo. © Anke Augspach / Rubin Lab / DBMR University of Bern

Uma equipe internacional de pesquisa liderada pela Universidade de Berna identificou um fator-chave que torna alguns casos avançados de câncer de próstata resistentes à terapia hormonal, abrindo novos caminhos para o tratamento.

Este conteúdo foi publicado em 10. novembro 2020 - 07:30
swissinfo.ch/fh

As descobertas publicadas na Nature CommunicationsLink externo lançam luz sobre mudanças "epigenéticas" nas células que causam algumas formas agressivas de câncer de próstata a se tornarem resistentes à terapia hormonal. Essas mudanças não envolvem alterações do código genético do DNA, mas muitas vezes regulam a atividade e expressão dos genes.

O câncer de próstata é o segundo câncer mais comum e a quinta causa de morte relacionada ao câncer nos homens em todo o mundo. A maioria dos cânceres de próstata localizados pode ser tratada com cirurgia e radioterapia, mas o câncer metastático normalmente depende de terapias hormonais. No entanto, geralmente se desenvolve resistência a esta terapia.

Até hoje, a maioria dos estudos sobre resistência ao tratamento tem se concentrado em mudanças na sequência de DNA nas células cancerígenas - mutação genética. Entretanto, os cânceres também podem se tornar resistentes ao tratamento através de mudanças na identidade celular. Esta "plasticidade linear" os ajuda a escapar do tratamento.

Como estudos mostram que mudanças no DNA não são suficientes para causar tal transformação na identidade celular, uma equipe de pesquisa liderada pelo Dr. Mark Rubin no Centro de Medicina de Precisão de Berna procurou entender que outras mudanças ocorrem nas células cancerígenas e poderiam permitir esta mudança de identidade.

A equipe de pesquisa descobriu que mudanças "epigenéticas" poderiam influenciar a maneira como uma célula usa as informações contidas em seu DNA.

"As células cancerígenas podem se apropriar desta estrutura para favorecer seu crescimento em relação às células normais ao seu redor", explicou Rubin em uma declaraçãoLink externo.

A equipe de pesquisa concentrou-se em um regulador epigenético, chamado complexo SWI/SNF, que modela o DNA de uma célula e pode fazer com que as células cresçam e mudem. A equipe do Dr. Rubin observou que várias linhas de células cancerosas da próstata dependem do complexo SWI/SNF para seu crescimento.

O Centro de Medicina de Precisão de Berna, uma iniciativa conjunta entre a Universidade de Berna e o Hospital Insel, foi lançado em 2019 e explora a medicina de precisão, especialmente em áreas onde não há nenhum padrão de opções de tratamento.

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.