Navigation

Skiplink navigation

Trem da Bombardier faz sua primeira viagem... finalmente

O primeiro dos novos trens fez sua viagem inaugural de Zurique a Berna, ida e volta. Keystone

Após anos de atraso, o trem de dois andares chamado 'FV-Dosto' completou sua primeira viagem ferroviária na segunda-feira. O destino do resto da frota de 62 trens continua dependendo de uma decisão judicial por causa de um processo movido por grupos de deficientes.

Este conteúdo foi publicado em 27. fevereiro 2018 - 09:56
SDA-ATS

"Não houve demora, tudo correu bem", disse o porta-voz das Ferrovias Federais Suíças (SBB-CFF) Christian Ginsig à agência SDA-ATS, depois que o primeiro dos novos trens viajou de Zurique a Berna, ida e volta, rota que o 'FV-Dosto' começará a servir já a partir dessa semana.

A nova frota, produzida pela empresa Bombardier, foi originalmente encomendada em 2010. A longa espera foi causada por problemas de entrega, de software e por um processo da associação Inclusion Handicap reclamando da falta de acessibilidade para cadeirantes. 

Acessibilidade comprometida

Há dez dias, o Tribunal Administrativo Federal decidiu que, por enquanto, seis dos novos trens serão autorizados a entrar em serviço. A Inclusion Handicap concordou com esta decisão, mas sustentou que os viajantes desacompanhados com deficiência encontrariam muitos problemas ao usar os novos trens e que, portanto, estes não atendem aos requisitos da lei que concede igualdade de oportunidades para deficientes nos transportes públicos.

Com a injunção provisória, o tribunal ainda não decidiu se os trens ainda em produção receberão a luz verde para operar. Em tese, a SBB-CFF não tem permissão para usá-los em sua rede ferroviária até que uma decisão jurídica sobre o assunto tenha sido alcançada.

A ordem da frota da Bombardier foi a mais cara da história da SBB-CFF. Os 62 trens custaram CHF 1,9 bilhões (US$ 2,4 bilhões). As empresa afirmou que planeja investir anualmente CHF 1 bilhão (US$ 1,16 bilhão) para modernizar seus trens no futuro.

​​​​​​​

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo