Navigation

Mais um passo na reestruturação da ABB

ABB: primeiro paga multa de 20 milhões de dólares e depois vende partes da empresa. Keystone

A multinacional sueco-suíça vende seus setores de óleo, gás e petroquímica a um grupo de investidores privados por 925 milhões de dólares.

Este conteúdo foi publicado em 13. julho 2004 - 11:09

Compradores fazem parte de um consórcio internacional formado pelas empresas Candover Partners, 3i e o banco JP Morgan.

A venda desses setores representa para a multinacional com sede na Suíça um importante passo na sua reestruturação e na redução da montanha de dívidas criadas nos últimos anos.

A conclusão do processo nos Estados Unidos devido ao pagamento de propina realizado por duas empresas do grupo ABB também contribuiu à venda bem-sucedida dos setores de óleo, gás e petroquímica. As negociações haviam sido iniciadas nos finais de outubro de 2003 com o consórcio internacional formado pelas empresas Candover Partners, 3i e o banco JPMorgan.

Além do pagamento combinado de 925 milhões de dólares, a ABB ainda recebe US$ 50 milhões. Essa soma vem dos resultados operacionais (Ebitda) do ano corrente.

A venda dos setores significa que a ABB está se separando da empresa filiada Vetco Gray, assim como da Offshore Systems, com sede na Noruega. Essas duas coligadas são atuantes em mais de 30 países e ocupam 8.700 funcionários (do total de 113.000 no grupo inteiro). Em 2003, o faturamento total desses setores foi de 1,7 bilhões de dólares. Na venda não foi incluída a empresa filiada ABB Lummus Global.

Acusada

Na última semana duas empresas do grupo ABB foram consideradas culpadas em tribunais americanos pelo incentivo à corrupção em países africanos e asiáticos. A ABB terá de pagar 10,5 milhões de dólares de multa, assim como devolver 5,9 milhões de dólares pelos ganhos indevidos.

Os dirigentes das duas empresas confirmaram ter subornado com mais de 1,1 milhões de dólares representantes governamentais da Nigéria, Angola e Cazaquistão entre 1998 e 2003, com o objetivo de assegurar contratos nesses países.

A própria ABB comunicou o fato aos órgãos americanos de controle da bolsa de valores e à justiça.

swissinfo com agências

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?