Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Paraísos fiscais na mira da OCDE

O ministro da Economia, Pascal Couchepin, chefia a delegação suíça.

(Keystone)

Reunidos em Paris, ministros da Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), de que são membros países industrializados do bloco ocidental, devem publicar nova lista de países demasiado complacentes em questão de impostos...

Nesta segunda-feira, 26 de junho, é esperada lista da OCDE apontando países considerados "ovelhas negras" em matéria fiscal.

Há apenas 5 dias, o GAFI - Grupo de Ação Financeira Internacional- arrolou 15 países acusados de lavagem de dinheiro, entre eles Panamá, Filipinas, Rússia, Liechtenstein e algumas ilhas do Caribe e do Pacífico.

A Suíça escapou dessa lista negra divulgada pelo GAFI órgão criado em 1999 pelo G7 - grupo das 7 nações mais industrialiazadas.

A OCDE visa agora os paraísos fiscais que adotam legislação frouxa para atrair investimentos. Assim somas consideráveis escapam a tributação mais pesada nos países de origem.

Na opinião de especialistas, a lista da OCDE inscreve-se numa série de medidas decididas depois das crises na Ásia e Rússia no sentido de sanear o sistema financeiro internacional. E apóia-se em relatório de 1998 sobre concorrência fiscal desleal.

Na época, a Suíça e o Principado de Liechtenstein tomaram distância do documento, receando questionamento do princípio do sigilo bancário.

swissinfo com agências.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.