Polícia suíça desmantela rede romena de tráfico de pessoas

Uma das mulheres exploradas, uma jovem de 18 anos, foi morta por um cliente na Suíça em 2016. Keystone / Dominic Favre

Uma investigação conjunta envolvendo a polícia suíça e romena levou à prisão de vários membros de uma quadrilha acusada de exploração de mulheres jovens para a prostituição.  

Este conteúdo foi publicado em 08. outubro 2020 - 17:15
swissinfo.ch/fh

A rede romena era responsável em recrutar jovens mulheres da Romênia e forçá-las à prostituição na cidade suíça de Lausanne, na região de língua francesa. A maioria delas também tinha sido forçada à prostituição em outros países europeus (Itália, Alemanha e Noruega). Elas eram obrigadas a trabalhar sete dias por semana. Uma delas, uma jovem de 18 anos, foi morta por um cliente na Suíça em 2016. 

Onze buscas foram realizadas em Lausanne e na Romênia, o que ajudou a identificar nove criminosos e 15 vítimas de tráfico humano nos dois países, informou a agência de notícias Keystone-SDA.  Quatro romenos foram presos e mandados de prisão europeus foram emitidos posteriormente para outros cinco suspeitos, incluindo o suposto chefe da rede. O chefe de 35 anos de idade foi finalmente preso no primeiro semestre deste ano na Alemanha e extraditado em meados de agosto para a Romênia, de acordo com a polícia de Lausanne.  

Os bens da rede de tráfico de seres humanos, totalizando vários milhões de francos suíços e incluindo cinco casas, foram confiscados. Todos os acusados foram ou serão levados perante os tribunais romenos. 

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch.

Partilhar este artigo